Gancho para Aventuras – O Médico Louco

Em Arton, por mais íncrivel que possa parecer, existe um reino onde os deuses são desacreditos. Um reino onde a única fé presente é a fé naquilo que pode ser visto, tocado e sentido. Um reino de Ateus, em um reinado de 20 deuses.

Salistick tem como principal característica a descrença de seus habitantes nos deuses e, por consequência, nos poderes divinos dos clérigos, paladinos e outros servos dos 20. Por esse motivo, clérigos que curam doenças são considerados charltões e aproveitadores, que usam de magia e outros truques para enganar as mentes mais frágeis.  Como agravante disso, a magia divina funciona de maneira fraca e pouco eficiente dentro do reino, não se sabe se por “punição” dos deuses ou se por um bloqueio formado pela falta de fé da população.
Para suprir a necessidade do tratamento de doenças o povo de Salistick desenvolveu a ciência médica como nenhum outro reino de Arton. Todo e qualquer cidadão do reino conhece algum tratamento para doenças simples e machucados do dia-a-dia. Porém existe no reino a maior instituição de ensino não mágica que se tem notícia. Uma instituição onde a medicina é ensinada em níveis muito mais complexos, o Colégio Real de Médicos. Nessa espécie de universidade de medicina alunos são treinados nos níveis mais complexos e intrincados do tratamento do corpo humano (e semi-humano, claro). Mas aqueles que tem o poder de curar também tem o poder de trazer a dor.

O Gancho…
Pessoas começam a sumir misteriosamente nas movimentadas ruas da capital de Salistick e lar do Colégio Real de Médicos. Mendigos, trabalhadores noturnos, cortesãs e até mesmo soldados da milícia da cidade. Ao mesmo tempo uma estranha onda de ataques acontece nas regiões próximas à cidade. Animais mutilados, pessoas mortas como se tivessem sido atacadas por animais. Algumas das pessoas desaparecidas são encontradas, mas mortas e sempre com sinais de cirurgias pelo corpo, ou mesmo sem membros. As pessoas estão assustadas e é difícil encontrar quem se aventure a sair sozinho a noite. A milícia oferece uma recompensa substancial para qualquer um que solucione o caso e traga os responsáveis à justiça.

O Inimigo…
No Colégio Real de Médicos, como em quase qualquer outra instituição, alguns alunos querem sempre aprender mais. E alguns deles não conhecem limites para essa sede de conhecimento. Nem éticos, nem morais, nem mesmo os limites humanos. Há mais de 50 anos, um aluno foi expulso do colégio por realizar experimentos ilegais e crúeis. O rapaz procurava mendigos e prostitutas pelas ruas, os levava até sua clínica e realizava procedimentos de autopsia com os pacientes ainda vivos. Sua intenção era conhecer melhor o funcionamento do corpo humano. Mas nenhum de seus pacientes retornava vivo. Quando as autoridades descobriram, o jovem fugiu e se escondeu nos bosques que circundavam a cidade. Seu nome era Alexei Von Rainir, mas ele ficou conhecido daquele dia em diante como O Médico Louco.

A Investigação…
Uma vez que os personagens tenham aceito a missão eles deverão procurar os médicos do Colégio que foram responsáveis pelas análises postúmas das vítimas das últimas semanas. Procurar padrões e sinais que os levem até os acontecimentos de 50 anos atrás. Eles devem realizar testes de investigação para notar procedimentos cirurgicos e matériais não mais usados pelos médicos do reino. E depois tentar associar isso às histórias sobre o médico louco. Uma vez levantada a suspeita, os heróis deverão procurar as autoridades da cidade e indagar sobre a fuga de Alexei décadas atrás e tentar rastrear seu paradeiro.

O Esconderijo…
O esconderijo do médico louco ficará a encargo do mestre, mas eu sugiro que ele fique em algum bosque próximo a capital, de preferência perto de algum braço do Rio dos Deuses (por motivos higiênicos, é mais fácil esconder os restos mortais jogando no rio, evitaria o cheiro e atenção indesejada). Uma vez que os heróis encontrem a cabana do médico, eles descobrirão que ela leva à um pequeno complexo de túneis, não maior que duas ou três casas, onde Alexei mantém suas vítimas e realiza suas cirurgias.

Os reais objetivos…
Quando os heróis se aproximarem do covil do médico eles se defrontarão com uma nova espécie de morto-vivo, o morto-vivo biogenético (vide final do post para regras). Os heróis terão que lutar seu caminho até chegarem às vítimas ainda vivas e ao próprio Alexei. Quando encontrarem o vilão os personagens entenderão o real objetivo dele em sequestrar pessoas e mutilá-las. O Médico Louco descobriu uma maneira de prolongar sua própria vida através de ciência, mas para isso ele precisava renovar seus órgãos de tempos em tempos. E após 50 anos de pesquisa, ele precisou fazer as primeiras trocas. Ao mesmo tempo, Alexei descobriu uma maneira de “reaproveitar” os corpos de suas vítimas e criou um tipo de morto-vivo que surge atravpes de uma doença infecciosa. Essas criaturas são mais dificéis de serem controladas do que aquelas invocadas por mágica, mas como tinha muito tempo livre Alexei conseguiu “domesticar” alguns poucos e os mantém perto de si como segurança. Ele também mantém consigo o antidoto para a infecção zumbi (detalhes no final do post).

Conclusão…
Tendo derrotado Alexei os heróis poderão voltar à cidade com o antidoto e o diário de pesquisas do médico e entregá-los para alguém de confiança. Possíveis vítimas ainda vivas também poderão ser devolvidas às suas famílias. As recompensas ficarão a encargo do mestre.

Apêdinces.
Morto-vivo Biogenético
Em uma Dragão Brasil foi apresentado um modelo deste tipo de morto-vivo para Resident Evil. Faz tempo que eu li, mas eu não vou usar o mesmo material. Usarei uma versão própria e bem simplificada.
O Morto-vivo Biogenético é uma variação do morto-vivo clássico criado através de ciência. Desse modo, magias de esconjuro e outras que afetariam apenas mortos-vivos não terão efeitos sobre eles. A doença pode ser adquirida por qualquer humano ou semi-humano(elfos, anões, etc.). Uma vez transformado o morto-vivo manté força e armadura da criatura-base. Sua habilidade passa a ser 1, sua resistencia passa a ser 2 (não importando os valores anteriores) e o PDF é zerado. A criatura adquire a vantagem regeneração e as desvantagens inculto e ponto fraco (cabeça). Todas as outras vantagens, desvantagens e pericias são perdidas.Os Morto-vivo Biogenético regenerarão qualquer dano sofrido a não ser que esse dano seja causado em suas cabeças, que é a única maneira de matá-los em definitivo. Qualquer criatura que sofra dano por um ataque de um Morto-vivo Biogenético deverá fazer um teste de resistência -2. Em caso de sucesso, terá “apenas” uma infecção comun em seu ferimento. Essa infecção causara 1 ponto de dano a cada 10 minutos e diminuira em 10% a taxa de regeneração de qualquer item ou magia de cura, mas pode ser curada com um teste de tratar ferimentos normal. Em caso de falha, a vítima contrai a doença zumbi e perdera 1 PV por minuto. Essa quantodade pode ser reduzida para 1 PV a cada 10 minutos com um teste de tratar ferimentos difícil. Magias de cura e outros itens tem seu efeito reduzido em 50% e a única cura para a doença é o antidoto do Dr. Alexei. Uma vez que o antidoto seja administrado, o personagem não perderá mais PV’s, mas os efeitos de curas só se normalizarão depois de um dia de descanso.

Alexei Von Rainir
Tem cerca de 80 anos, mas tem o vigor físico de uma pessoa de 20, graças a seus experimentos.
F:2 (corte)
H:4
R:3
A:0
PDF:1(perfuração-agulhas)
Vantagens: Genialidade, Regeneração, Ataque especial Preciso
Desvantagens: Insano Megalomaniaco, Má Fama, Ponto Fraco (coração), Monstruoso (um homen cheio de cicatrizes de cirurgias e retalhos de outras pessoas não é lá algo muito bonito de ser visto…)
Perícias: Medicina e Ciência
(Os valores de atributos podem ser alterados dependendo da campanha, porém, aconselho manter as perícias, vantagens e desvantagens)
Alexei, assim como os mortos-vivos que criou, tem um ponto franco, mas no seu caso é o coração. Danos causados na região do coração não serão regenerados.

Alexei enfrentará os heróis com pelo menos 5 de seus mortos-vivos domésticados consigo. Estas versões dos monstros tem H2 e conseguem seguir ordens simples do médico.

Bom, é isso ai meus povos e povas. Vocês facilmente perceberão que eu usei como inspiração para esse gancho um episodio da quinta temporada de Supernatural (salvo engano), onde os irmãos enfrentam um médico chamado Dr. Benton, que usava dos mesmos artifícios para prolongar sua vida. E também, claro, nas criaturas de Resident Evil. Espero que vocês gostem da idéia e possam aproveitar uma aventura ^^
Sem mais, até mais!

Esse post foi publicado em 3DeT, Arton, Ganchos de Aventura, Lukas, RPG. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Gancho para Aventuras – O Médico Louco

  1. Benaduce disse:

    Desde o início eu senti um cheiro de Resident Evil mesmo. hehe. Muito bom velho!

  2. A principio eu ia fazer só o médico… Mas se fosse assim, a maior parte da dor de cabeça ainda ia ficar pros mestres(criar problemas para os jogadores até chegarem ao vilão, no caso) que pretendessem usar a aventura. Então tive que imaginar que tipo de "lacaio" combinaria com um vilão assim, e acho que foi a ideia que mais combina =D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s