O Cavaleiro Sob o Sol – Um homem diferente

Depois de vários dias desde o último capítulo, a história de Katsuo, o paladino, e Elingham, o mago, em direção às Uivantes finalmente começa. Confira mais esta parte desta história escrita pelo Lukas (mas editada e postada por mim)!

(Artista: PrincepsSenatus)
Elingham levantou-se pouco após os primeiros raios do deus-sol penetrarem seus aposentos. A manhã começara agradável, como eram praticamente todos os dias em Fauchard. Dirigiu-se a bacia com água colocada no quarto na noite anterior e fez sua higiene matinal. Limpo e vestido desceu para o salão comunal, para encontrar seu companheiro e comer o desjejum. 
Katsuo estava ligeiramente diferente da noite anterior. Trocara os trapos que vinha usando por uma túnica limpa, oferecida por seu amigo. Aparara a barba, mas não muito, apenas o suficiente para não parecer um pedinte , e penteara os cabelos. Ainda assim, estava diferente das épocas de aventura e Elingham estava curioso sobre a mudança.
– Bom dia meu caro – O mago aproximou-se colocando a mão no ombro do guerreiro que já havia começado a refeição –  Me tire uma duvida, meu velho amigo, porque essa mudança de visual e onde estaria aquela bela armadura que sempre trajava?
– Ah, claro, esqueci de contar-lhe – Respondeu o paladino com um grande sorriso – Você deve saber muito bem que depois de todos aqueles anos de aventura nossa notoriedade cresceu bastante. Fizemos muitas coisas, salvamos muitas pessoas, enfim, você se lembra bem.
– Claro que lembro – Elingham respondeu com um ar saudoso e um sorriso no rosto – Realmente, nossa fama se espalha por quase todo o reinado.
– De fato. Enfim, meu mestre solicitou discrição na missão, ao que tudo indica o assunto é de extrema importância. E temos essa iminência de guerra com os minotauros, agentes da Tormenta por todas as partes e, provavelmente, inimigos mais ligados a missão em si. Não é muito comum que um comandante da Ordem de Khalmyr cavalgue sozinho rumo a sede da Ordem da Luz. Isso despertaria nossos inimigos.
– Realmente – Respondeu o arcano apoiando os braços na mesa e o rosto entre as mãos, Katsuo era discípulo do Alto Comandante e também um dos generais da Ordem de Khalmyr – E a sua armadura?
– Ah, ela está no embrulho que eu carrego, não sou tolo de andar desprotegido, porém enquanto não houver necessidades não a usarei. Mantenho apenas minha espada pronta.
Continuaram a deliberar sobre a viagem que se seguiria enquanto comiam. Decidiram que a viagem se iniciaria logo após a refeição, já que Elingham havia preparado tudo de antemão, sabendo da pontualidade de seu parceiro. Logo após o café da manhã o mago pagou suas despesas na estalagem e mandou que os cavalos fossem preparados. Além do belo corcel branco que acompanhava o paladino a comitiva seria composta de um belíssimo alazão negro que serviria de montaria para Elingham e um cavalo cargueiro que carregaria as provisões da dupla.
– Bom, de volta a estrada, como nos velhos tempos, seu estudioso mofado – O sorriso de Katsuo era enorme ao brincar com o velho companheiro.
– Estudioso mofado? Cuidado para não engolir poeira, seu cavaleiro empolado!
Com a resposta do mago ambos começaram a viagem em direção a fronteira de Deheon com as Uivantes.
Esse post foi publicado em Literatura, Lukas, O Cavaleiro Sob o Sol, RPG. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s