Mundo dos Quadrinhos – A busca por Batman e o “Ponto de Ignição”

Encadernado trará uma aventura completa que pode ser o prelúdio do “reboot” da editora no Brasil. A Panini Comics anunciou para o mês que vem um lançamento especial para os curiosos a respeito da reformulação da DC Comics. A história “Mestres do Tempo: A Busca por Batman” chegará às livrarias na forma de um encadernado de 148 páginas que mostrará o fim da busca de Superman, Lanterna Verde, Gladiador Dourado e o viajante do tempo Hip Hunter pelo Batman.
Enquanto a DC já se reiniciou lá fora, aqui no Brasil nós ainda estamos testemunhando os efeitos de sagas anteriores como “A Noite Mais Densa” e “Crise Final”, onde o homem-morcego foi morto por Darkseid – ou pelo menos é o que aparentava. O raio ômega do vilão busca, na verdade, eliminar todos os vestígios de sua vítima da existência, até mesmo de realidades alternativas. Antes que ele conclua seu serviço, o quarteto de heróis tentará trazer o Cavaleiro das Trevas desta armadilha temporal de volta para o século 21. O desenvolvimento dessa trama, você acompanha por aqui na revista “A Sombra do Batman”.
O que ninguém esperava é que a conclusão do retorno de Batman também pode ser considerada uma espécie de prelúdio para a próxima grande saga da DC Comics no Brasil que a Panini já anunciou que se chamará “Ponto de Ignição”. É isso mesmo! O cenário para o tão falado “reboot” da DC começa a ser preparado por aqui, portanto, se você quer acompanhar todo o processo de perto, esta edição deve ser a primeira a entrar na sua estante!
Publicado em Batman, Benaduce, DC, Mundo dos Quadrinhos | Deixe um comentário

Mundo dos Quadrinhos – Cavaleiros do Zodíaco | JBC lança nova série dos personagens


Os Cavaleiros do Zodíaco estão de volta com força total às bancas brasileiras. Além da série Episódio G, que sai pela editora Conrad, a editora JBC anunciou que continuará suas publicações com os heróis em uma nova série: Os Cavaleiros do Zodíaco – Next Dimension: A Saga de Hades.
Cavaleiros do ZodíacoO mangá, que ainda está saindo no Japão, foi lançado simultaneamente a Cavaleiros do Zodíaco – Lost Canvas: A Saga de Hades, que a JBC também está publicando. Quem assina a nova série é Masami Kuramada, criador dos Defensores de Athena.
Outro diferencial do mangá é ser totalmente colorido. O lançamento do primeiro volume acontece este mês, com 168 páginas a R$ 14,90.

Publicado em Benaduce, Cavaleiros do Zodíaco, Mundo dos Quadrinhos, Saint Seya | Deixe um comentário

Mundo do Cinema – Os Caça Fantasmas

Bom, não é novidade nenhuma que teremos um terceiro filme de Os Caça Fantasmas. Porém o grupo vai aparecer na telona bem antes do esperado!!! Não, as filmagens do terceiro filme ainda não começaram, porém a Columbia Pictures resolveu relaçar o filme original, de 1984 nos cinemas. E olha que tem chance de esse relançamento ser mundial e não ficar restrito aos EUA. Confiram um texto postado no Facebook da companhia:
“É isso aí, fãs. É hora de juntar seus gatos e cachorros e se preparar para uma histeria em massa: neste mês de outubro, pela primeira vez em mais de 25 anos, o original e inesquecível Os Caça-Fantasmas retornará aos cinemas”
Pois é, agora é esperar um pouquinho.
Who you Gonna Call?
Publicado em Ghosbusters, Lukas, Mundo do Cinema | Deixe um comentário

Mundo Gamer – PS Vita

O estande da Sony já foi mais criativo e ousado no passado. Mas nem por isto dá para ficar menos deslumbrado com o espaço da empresa nesta edição. Show de luzes e telões de alta definição, nos quais são exibidos os clipes dos principais lançamentos, chamam a atenção de quem passa por lá.
A missão desta sexta-feira (15) era enfrentar as longas filas para testar o novo produto da Sony: o Playstation Vita. A empresa colocou 80 aparelhos e 26 jogos à disposição do público.
Era preciso ficar esperando por cerca de 40 minutos. Para testar os mais concorridos, era necessário ainda mais paciência e esperar por, no mínimo, uma hora. Tempo este que deve quadruplicar no sábado (17) e domingo (18).
O jogo testado foi Little Big Planet, voltado para toda a família, sucesso já para PlayStation 3. Simples, o que mais chamou a atenção foram os gráficos em alta definição e a diversidade de opções de manuseio do aparelho.
Além dos tradicionais botões, pode-se comandar o cenário com toques na tela e também inclinando o aparelho para os lados, para frente e para trás ou até um simples cachoalhão. Mas o toque de charme fica por conta do sensor na parte de trás do produto, que é usado para empurrar objetos no cenário, por exemplo.
Definitivamente, uma nova forma de jogar. Muito mais divertido, diga-se de passagem – impossível não rir dos jogadores inexperientes que se inclinam para o lado ao invés de mover o aparelho.
Concorrência
Depois de um começo de ano tenebroso para a Sony, por conta do ataque de hackers, que causaram uma violação maciça de dados, obrigando a fabricante a paralisar temporariamente seu serviço de jogos online, a empresa deu a volta por cima com o lançamento do Vita.
Criado para concorrer, neste final de ano, com o portátil 3DS da rival Nintendo, a estratégia da empresa tem dado certo e o Vita já ganhou ganhou destaque nos principais programas de TV, jornais e sites especializados.
O game é equipado com tela sensível a toque com um diodo orgânico emissor de luz (OLED), o que possibilita gráficos em alta definição. Além disto, possui aplicativos para fotos e vídeos, conexão 3G ou wi-fi e acesso fácil às redes sociais, como Twitter e Facebook. É possível ainda assistir a filmes, ouvir música e navegar pela internet.
No Japão, o aparelho chega às lojas em dezembro por cerca de US$ 320 (aproximadamente R$ 546) no modelo wi-fi e US$ 390 (aproximadamente R$ 666) no modelo 3G. A venda na Europa e nos Estados Unidos começa somente em 2012. A empresa não divulgou quando o Vita chega ao Brasil.
Publicado em Alisson, Mundo Gamer, PS Vita | 3 Comentários

E quando o grupo se separa?

Pois bem, meus caros leitores rpgisticos de plantão, hoje eu pretendo abordar um tema que surgiu no grupo de jogo que comecei há duas semanas com alguns colegas aqui do bairro onde eu moro. A constante fragmentação do grupo durante as sessões e as richas entre personagens. Vamos tentar trabalhar um pouco essa questão e tentar achar uma solução justa e pacífica para essa situação que atormenta tanto os mestres como, também, alguns jogadores.

Primeiro de tudo vou colocar aqui a situação. Bom, depois de tanto tempo procurando com quem jogar, finalmente arrumei um grupo. Começariamos a jogar D&D em um mundo que se formará com o tempo de jogo. Até ai tudo bem. Escolhemos nossos personagens, classes, raças, etc. Até que chegamos na parte das tendências. Para quem não sabe, em D&D as tendências servem para definir a orientação moral e psicológica do personagem, servem para dar base às suas atitudes e ajudar o mestre a fiscalizar a interpretação, principalmente. Pois bem, tivemos um grupo com extremos e um personagem leal e mal. Ok, durante o decorrer do jogo era mais que obvio que o leal e mal entrasse em discordância com o resto do grupo, porém as coisas meio que correram exageradas e, por isso, o grupo se dividia até onde não tinha como ser dividido e os personagens estavam sempre entrando em conflito. Problemas? Não deveria ser. Porém o atrito entre dois personagens gerou uma situação que tornou o clima chato entre os jogadores que os controlavam. Isso sim é um problema.

Inicialmente, eu parto para a máxima da interpretação nas sessões. Jogadores, separem personagens de realidade. O que acontece in game, fica in game. Se o personagem do Fulano detesta o personagem do Sicrano, tudo ok. É até uma boa ideia para rolar mais interpretação do grupo. Porém, os jogadores não devem levar a sério provocações em jogo. Quem tem que responder as provocações são os personagens, não os jogadores.
 Bom, voltando para a minha história. Durante o jogo um dos personagens passou a “tirar onda” com o outro o tempo todo. Por conta de falhas em testes ou mesmo por enganos do outro jogador. Daí, em batalha, o jogador que foi taxado como “inútil” resolveu ficar de fora da batalha. Resultando na quase morte do outro e em estresse pós sessão.E aí? O que fazer? Seguindo a dica do amigo que estava mestrando, resolve-se interpretação com interpretação. Infelizmente, nem sempre isso acontece. Como no nosso caso, um jogador ficou com raiva do outro, ai ficou aquela situação tensa. E ai? Como fazer? Bom, eu já disse isso antes. A única maneira de resolver isso é dialogando. No nosso caso, falamos individualmente com eles, bom pelo menos eu falei com um deles e ficaram de falar com o outro. Por enquanto, creio que conseguimo segurar as pontas, só esperar que ninguém guarde magoa.
Ok. Voltamos para o jogo. Agora vamos olhar pelo lado do mestre. É péssimo para o mestre quando o grupo se separa, porque você tem que mestrar para uma parte, enquanto a outra espera. E pensar em maneiras de evitar que os grupos menores morram desnecessariamente, etc. Imagine então quando os personagens ou os próprios jogadores brigam… Isso, quse que certamente, significara separação do grupo sempre que houver uma oportunidade. Bem, mas se você parar para pensar no ponto de vista interpretativo, é mais que interessante que o mestre permita que o grupo se separe as vezes. Desse modo você incentiva amizades entre personagens e pode aumentar a distancia entre os rivais do grupo, enfim, aumentar a parte interpretativa da sessão e, na minha opinião, tornar a coisa mais divertida. Porém, isso também depende da ajuda dos jogadores. Com certeza que esse tipo de situação gera possiblidades interpretativas para os personagens, mas se os jogadores não souberem separar o jogo da vida real, tudo vai pro brejo!
Portanto, segundo o que eu acredito, cabe ao mestre policiar o ritmo de jogo e os jogadores, evitar discussões sem sentido entre jogadores e evitar brigas, principalmente. Porém, os jogadores também devem ajudar nessas situações, primeiramente, separando o jogo da vida real. Em segundo, quando outros jogadores perderem a cabeça, falem com seus amigos e mostrem a eles que eles estão atrapalhando o andamento do jogo e, desse modo, atrapalhando o divertimento de todos. Lembrem-se, RPG é diversão, para TODOS!

Publicado em Dicas, Lukas, RPG | Deixe um comentário

Game of Thrones 3D&T – Daenerys Targaryen

Aerys II Targaryen“Você não quer acordar o dragão!”. Daenerys é, juntamente com seu irmão, Viserys, o que restou da família dos Targaryen. Exilada e obrigada a se casar com Khal Drogo, começa como alguém fútil e indefesa. Porém, a medida que a história avança, mostra cada vez mais fibra. Confira sua ficha para 3D&T!

Daenerys Targaryen: Princesa da Casa Targaryen e exilada, Daenerys não sabe nada de Westeros, exceto o que ela aprende com seu irmão, Viserys. Os dois últimos sobreviventes Targaryens, eles fugiram após a morte de Aerys Targaryen durante rebelião de Robert. Casada com Drogo, o Khal dos dothraki, ela se tornou Khaleesi. Frequentemente ela se pergunta se Viserys é realmente merecedor de um trono. Tem em Sor Jorah Mormont um fiel súdito e aliado.
Daenerys Targaryen: F0, H3, R2, A0, PdF0, PVs10, PMs10.
Vantagens e Desvantagens: Aliado (sua égua, que ela chama de prata, F2, H3, R2, A0, PdF0, PVs10, PMs10, Aceleração), Aparência Inofensiva, Invulnerabilidade: Calor/Fogo, Mentor (Sor Jorah Mormont), Código de Honra (dos Heróis), Especialização (Cavalgar).
Publicado em 3DeT, A Game of Thrones, Adaptações, Benaduce, Game of Thrones 3DeT, RPG | Deixe um comentário

Mundo dos Quadrinhos – Aniquiladores descem à Terra


Na sua décima-primeira minissérie desde o crossoverAniquilação, de 2006, os heróis cósmicos da Marvel Comics se reúnem mais uma vez – desta vez enfrentando os interesses do planeta Terra, representados pelos Vingadores, em Annihilators: Earthfall.
Aniquiladores
O supergrupo dos Aniquiladores reúne pesos-pesados intergaláticos como Bill Raio Beta, Gladiador, Ronan, Quasar e Ikon.
“Queríamos muito fazer uma história que colocasse frente a frente a Marvel Cósmica e a Marvel Terra, pra que essas duas partes do Universo Marvel pudessem se encontrar e interagir, e os leitores pudessem curtir uma boa e velha comparação”, diz o roteirista Dan Abnett. O que traz os Aniquiladores à Terra é“basicamente um conflito de jurisdição”, diz Abnett. “O que é bom para a Terra pode não ser bom para a galáxia – e vice-versa!”
O roteirista lembra que alguns dos heróis do grupo, como Quasar e Bill Raio Beta, têm simpatia pelo nosso planeta, o que pode causar divisões dentro da superequipe cósmica.
O lançamento acontece em setembro nos EUA. Dan Abnett e Andy Lanning cuidam do roteiro.Tan Eng Huat ilustra. Completa a edição uma história com os divertidos Rocket Raccoon eGroot.
Publicado em Benaduce, Marvel, Mundo dos Quadrinhos | Deixe um comentário